Quarta-feira, 20 de Agosto de 2014

O Projecto Mamanas está de volta!!!

 

publicado por mamanas às 15:19
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 4 de Novembro de 2013

Já estamos na fase final! Vota na tua favorita

publicado por mamanas às 17:39
link do post | comentar | favorito

Vote na sua Mamana Finalista favorita

Já estamos a entrar na recta final do Vodacom Mamanas M-Pesa.

Estas são as Mamanas finalistas. Vota na tua Mamana Favorita!

Para votares basta enviares uma SMS com o código da tua candidata preferida para o 84 120 10.

Vodacom Mamanas M-Pesa,
Beleza Moçambicana


publicado por mamanas às 10:21
link do post | comentar | favorito

Ibérica Maria

Trabalho neste mercado desde criança. Durante a minha infância ia a escola e vinha ajudar minha mãe a vender. Parei de estudar porque engravidei. Era nova, mas tive a ajuda dos meus pais. Foi um dos momentos mais difíceis da minha vida. Não tinha experiência, não tive apoio do pai do meu filho.

E assim surgiu uma oportunidade para ir a Alemanha. Vivi lá 6 anos. Estive lá a formar me em têxteis. Trabalhei para dar condições ao meu filho.

Quando regressei trabalhei numa empresa que pouco depois faliu. Foi assim que voltei para o mercado e dei continuidade a banca da minha mãe. Onde estou até hoje.

Neste momento tenho dois filhos, o mais velho de 29 anos e a menina de 22 anos. Eles são o meu maior orgulho. O mais velho é médico. E a segunda está a acabar a 12ª. Sempre quis investir nos estudos deles. Este espírito já vem do meu pai, que cultivou na família o interesse para que todos nos formássemos.

Estou solteira porque ainda não chegou o príncipe encantado.
O meu maior sonho é ter minha casa própria e um companheiro.

publicado por mamanas às 10:18
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 1 de Novembro de 2013

Susana Moreira

Chamo me Susana, tenho 40 anos e sou mãe de 5 filhos. Trabalho neste mercado desde os meus 25 anos. Este negócio aprendi com a minha irmã. Meus pais perderam a vida cedo.

Antigamente eu e minha irmã fazíamos refeições em casa e vínhamos vender aqui. Com o desenvolvimento do mercado passamos a cozinhar aqui. O dinheiro que apanho, não e muito, mas consigo dar de comer aos meus filhos.

Infelizmente estudei só até a 7ª classe. Minha mãe era professora. O que aprendi com os meus pais e passo aos meus filhos é o respeito. Respeitar as pessoas.

Um dos momentos mais difíceis da minha vida foi quando tinha 13 anos, na época de guerra, quando fui capturada e fiquei 4 dias longe da minha família. Consegui fugir e chegar a casa. Mas nunca me esqueci deste momento.

Gosto do meu trabalho, dou me bem com as minhas colegas. Considero-me uma pessoa alegre e divertida.

Meu sonho é ser uma actriz de teatro.

publicado por mamanas às 12:40
link do post | comentar | favorito

Maria Gorete Sitoe

Tenho 65 anos. Tenho esta banca para não estar nas estradas a pedir dinheiro.

Desde que nasci vivi na pobreza.
Eu fui órfã até aos sete anos. Minha mãe faleceu quando eu ainda tinha meses. Nem a conheci. E assim fui parar num colégio. Cresci com irmãzinhas, e lá estudei até a 4ª classe.

Quando fiz sete anos meu pai veio me procurar. Levou me para Manhinça, para aprender o dialecto, aprender a cozinhar, pilar, cuidar de casa. Porque no colégio não aprendíamos isso. Só aprendemos português, e lá estudávamos, brincávamos.

No tempo de colonialismo trabalhei, mas vi que não dava. E graças a deus que me deu essa banca, que me dá o pão de cada dia.
Com esta banca comprei meu talhão e construi minha casa. Casei enquanto já tinha esta banca. Tive 8 filhos. Um faleceu. Três estão na África do Sul. Os restantes estão cá. Eles ajudam-me. Estão a trabalhar e sossegados nos lares deles.

Meu marido faleceu, e actualmente vivo com 2 netos.
Meu sonho é ver a vida a subir. E ter saúde para mim e meus netos. Porque a vida de agora pesa muito. É tudo que eu sonho.

publicado por mamanas às 12:35
link do post | comentar | favorito

Guilhermina Tomás

Venho de Inhambane. Nasci e cresci lá, depois é que vim para Maputo.

Eu vendo alface, couve, piri-piri, coentro, salsa, desde 1979. Desde o dia da abertura do mercado de Janet. Quando era mais nova ia a machamba com minha avó, depois ia a escola e cozinhava. Conheci um moço com quem tive oito filhos, que “matrecou-me”. Quis andar nas brincadeiras. Que fazer. Deus é que sabe.

Eu trabalhei e alimentei os meus filhos através desta banca aqui.
Hoje meus filhos já são grandes, quase todos trabalham, e gostam da mãe. Dou me bem com eles e agradeço a Deus as minhas 6 noras que são como filhas para mim.

A minha educação obtive com minha avó e minha mãe. Que me ensinaram a ter respeito. A cuidar de uma casa e a dar me bem com as pessoas.
Tenho 76 anos mas ainda sou muito viva. Por isso gosto de dançar. Considero-me boa pessoa, simpática e animada.

Nos meus tempos de juventude eu era chique de Doer.

publicado por mamanas às 12:27
link do post | comentar | favorito

Maimuna Isabel

Tenho 45 anos. Eu cresci muito mal. Nasci em Manhinça. Minha mãe teve acidente quando eu era bebé. Neste acidente faleceu a minha avó. Eu sobrevivi. Mas fiquei deficiente. Cresci assim.

Entrei na escola com 13/14 anos, mas não estudei muito, terminei na quarta classe. Depois comecei a vender. Na altura fazia bolachas, bolinhos, fazia em casa e ia vender. Depois entrei nesta banca. Que não e minha, vendo para alguém, pagam-me um valor.

Tive um marido, juntei me com ele, tive três filhas, a 1ª faleceu. Fiquei com a segunda de 24 anos, e a segunda com 16. Elas estudaram e ajudam-me. São as melhores filhas que poderia ter tido. Meu marido depois foi a África de sul, ficou doente e faleceu.

 Em casa vivo com minhas filhas, minha neta e tenho um amigo. A minha mãe foi uma excelente mãe. Gosto muito dela. Meu pai faleceu cedo. Nunca deixou-me de lado por ser deficiente, ajudou me a ser autónoma e a batalhar.

Eu apesar de tudo trabalho, faço coisas em casa, cuido das minhas filhas, netos e tenho um sobrinho a viver comigo que a mãe faleceu.

Eu sonho em ter alguma coisa minha, ter minha casa, ter algum dinheiro para meu próprio negócio (diz ela cheia de lágrimas). Nunca consegui nada na minha vida. Vivo para sobreviver e sustentar meus filhos.

 “A história desta senhora mexeu muito com a nossa equipe, por ser uma mulher de luta e coragem. Que não se deixa ir abaixo por ser deficiente. Ela tem uma cadeira de rodas precária, cujo pneu baixa de 5 em 5 min. Para chegar a casa a filha tem de acompanhá-la e ir enchendo o pneu ao longo do caminho.”

 

publicado por mamanas às 11:57
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 31 de Outubro de 2013

Vota na tua Mamana Favorita

 

 

publicado por mamanas às 09:40
link do post | comentar | favorito

Ana Whate

Eu cresci numa família simples. Estudei até a 10ª classe. Em 1985 fui anelada, estive no lar. Mas as coisas não correram bem. Depois conheci alguém com quem tive uma filha. Também não deu certo.

Trabalho aqui a 10 anos, para fechar o lugar do meu pai, que adoeceu, então vim fechar o lugar dele. Ele faleceu em 2007. E de seguida a minha filha quando estava grávida teve uma malária cerebral e morreu. Tinha 18 anos. Foi doloroso, perder a única filha que eu tinha. A esperança que eu tinha nela. Foi muito difícil. Minha mãe também perdi ainda nova.

Hoje moro com um sobrinho filho do meu irmão que também faleceu. Eu cuido dele. Foi a única família que me restou.

Meu sonho é ter um companheiro, ter um lar, sinto me muito sozinha- diz ela com um olhar muito triste.

Hoje em dia o negócio no mercado já não da para muito. Estou a sofrer.
A minha mãe era tudo na minha vida, choro cada vez que me recordo dela.

Hoje em dia não tenho para onde me recorrer. Meu refúgio é a minha igreja.
Esta mamana cantou a seguinte música para nós:

“Já houve tempo em que achei que era preciso
Trocar de vida, de ambiente, de lugar…
Meus pais diziam que era falta de juízo
Que um dia eu haveria de mudar.
Eles pediram para que eu não fosse embora
Até choraram mas mesmo assim eu não fiquei,
Não dei ouvido e sai pela estrada fora,
E mesmo assim eu me apaixonei.
Como era bom aquele tempo bom,
Em que eu vivia sempre tão contente,
Como era bom aquele tempo bom,
E ver agora que é tudo tão diferente.”

publicado por mamanas às 09:37
link do post | comentar | favorito

.Mamanas

.pesquisar

 

.Agosto 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.tags

. todas as tags

.tags

. todas as tags

.as minhas fotos

blogs SAPO

.subscrever feeds